Acredite que é possível e será.

Acredite… Você sempre pode começar… Recomeçar!

 

 

 

 

 

 

Abra seu coração deixando sair de dentro dele pensamentos positivos de renovação, de força, coragem e fé, transformando uma simples noite, como tantas outras, numa noite diferente, numa noite fervorosa de motivação para o novo, para o despertar  “do homem novo”, deixando o “homem velho” juntamente com o ano que termina.

Transforme esta “virada” na mais linda e mágica noite que levará ao amanhecer de um novo ano, nova oportunidade, novas possibilidades, novas conquistas e realizações, sucesso e prosperidade!

 

 

 

Acredite que é possível e será.
Acredite na sua força e faça acontecer.
Ofereça de si o melhor.

É o que lhe desejo com muito carinho!

Verdadeiramente um…

FELIZ ANO NOVO!

Produtivo e Próspero 2015!!!

Chegou o momento da reflexão…

E o Natal chegou, se fez presente e se foi…

Familiares, amigos e parentes chegaram se presentearam e se foram…

Compartilhamos da ceia, das orações, das canções, rimos e choramos muito.

O barulho das crianças, o fala-fala de todos, os pratos pra lá e pra cá.

Alguns faltaram, mas, a maioria esteve presente!

E foi assim… mais um Natal chegou e se foi…

Ficaram as lembranças na mente e no coração, as fotos preencheram os álbuns nos arquivos digitais e redes sociais, modernidades atuais!

E assim foi…

Agora com aquele gostinho de “ressaca” vamos lentamente voltando ao normal.

As reflexões costumeiras sobre o ano que passou começam a “tomar forma” e ocupar o nosso pensamento.

Tantas promessas não cumpridas, situações surgiram sem ao menos pedir licença, muitas conquistas e realizações, tantos sonhos ficaram na espera, encontros e desencontros, amizades se foram e tantas outras chegaram, o que estava perdido apareceu, aquilo que esperávamos nem deu notícia!

E  assim foi…

O ano está terminando… Outro está se aproximando!

É sempre assim: esperamos, planejamos, acreditamos e seguimos em frente.

E mais uma vez não será diferente!

Mas, mesmo assim, nesses dias que antecedem a famosa “virada”, nos munimos de esperança e abrimos o novo calendário na certeza que desta vez será diferente,
vamos cumprir tudo o que nos prometemos e seremos felizes!
Iniciamos o novo ano com o pé direito, vestimos branco, pulamos sete ondinhas, comemos sete grãos de uvas, guardamos sementes de romã na carteira, presenciamos a “queima de fogos” na beira da praia, tomamos “champanhe” e abraçamos quem está por perto!

 

Ah! O Ano Novo!

As reflexões são inevitáveis, daquilo que se foi, daquilo que virá!

Sabemos que se refere somente a uma mudança simples de calendário, mas o simbolismo que este gesto representa nos traz uma energia e uma força interior inexplicável mobilizando-nos e motivando ao um novo começo!

E assim vai…

 

Ah! O Ano Novo!

“Bate a nossa porta” e nos proporciona a esperança da renovação, do recomeço, do reinício…

Assim será…

Estamos prontos para mais uma etapa!

 

 

 

Que venha o Ano Novo!

Que venha 2015… Feliz e Próspero!!!

 

CHEGOU A LUZ… E O MUNDO FICOU MAIS BELO!

A jovem e doce Myrian ficara órfã de pai e mãe, entregue ao Templo pelos tios paternos e pertencente a linhagem de Davi, a menina logo se adaptou as regras rígidas da instituição, aprendeu bordar, costurar e cantar, dizem que seu canto de louvor atingia esferas espirituais altíssimas.

Desde muito menina, Myrian, ou Maria como a conhecemos, tinha visões e facilidade em adentrar as dimensões astrais superiores, foi assim que percebeu uma figura radiosa a lhe envolver e revelar que se preparasse para uma grandiosa missão. Crente e respeitosa nunca duvidou e ao contrário, se manteve em orações e recolhida em si mesma.

Ao passar do tempo, Maria foi se afeiçoando ao grupo de jovens que com ela convivia na reclusão do Templo. Seguia sua caminhada e sempre tinha um conselho amigo e acolhedor para quem necessitasse.

 

Estava ela em elevada prece quando recebeu a notícia que José, o carpinteiro, a escolhera para sua esposa, embora muito jovem seu coração acolheu o pedido e seguiu para a pequena casa na cidade de Nazaré.

 

 

 

O casal levava vida adequada aos costumes da época, muito simples e pura.
Nunca se ouviu um tom mais alto da pequenina Maria, sempre cantando salmos e louvores, um certo dia, em meio a suas preces, um anjo de nome Gabriel, lhe comunicou que sua missão se concretizaria em breve… daria a luz a um grande espírito, de envergadura elevadíssima.
Transparente e crédula, comunicou ao esposo que em princípio duvidou, mas recebeu também um aviso dos anjos que seria o mentor material de grande espírito…

E assim se fez a união de José, Maria e quem mais viesse!

 

O tempo passou e o dia sagrado chegou…

 

 

 

Em visita a casa de tia Sara, irmã mais nova de sua mãe, Maria se aconchegou no seio de humilde residência e trouxe ao mundo a criança mais linda e luminosa que esse planeta já viu!

Em companhia de seus parentes o menino-deus desceu do céu e se fez presente entre nós, da forma mais amorosa e afetuosa que seu coração conseguiu realizar!

Nasceu Jesus entre os pastores na noite gelada do inverno palestino…

As estrelas brilharam como nunca…

Nasceu Jesus…

 

Chegou a luz, a verdade e a vida…

Hosana, Hosana, Hosana nas alturas…

Paz na Terra aos Homens de boa vontade…

Nasceu Jesus!!!

Que o nosso coração o receba como muito amor e transforme as trevas em luz!!!

 

FELIZ NATAL…

LUZ E AMOR, FÉ E UNIÃO!

A ORIGEM DA ÁRVORE DE NATAL

Enquanto esperamos “Papai Noel” chegar…

É muito bom conhecer o início dessa tradição tão linda, sabemos que é apenas uma representação, mas vale refletir sobre o quanto a humanidade cultua seus costumes, preserva sua cultura e de onde partiu nossos hábitos sociais.
Não deixa de ser “caixa de retalhos” cultural…

Pintura de Viggo Johansen de 1891

 

Nos tempos mais antigos, antes mesmo de Cristo, plantas e árvores que permaneciam verdinhas todo o ano tinham um significado especial para as pessoas durante os rigorosos invernos.

Acreditava-se que as plantas vistosas afugentavam maus espíritos e doenças das casas.

No hemisfério norte, o solstício de inverno cai entre os dias 21 e 22 de dezembro, por isso, eles utilizavam vários ramos e folhas em suas casas durante a estação fria, dando os primeiros indícios da tradição da árvore de Natal.

Mas ninguém sabe realmente ao certo quando os ramos e pinheiros foram utilizados pela primeira vez como árvore de Natal. Provavelmente essa prática tenha começado há cerca de mil anos atrás no Norte da Europa, onde árvores de abeto (do tipo pinheiro) eram penduradas nas casas com algum tipo de decoração.

O primeiro uso documentado de uma árvore nas celebrações de Natal e Ano Novo foi na praça da cidade de Riga, capital da Letônia, no ano de 1510. Nessa praça, existe uma placa dizendo que aquela foi a primeira árvore de Ano Novo, sendo que a frase está traduzida em oito idiomas.

Outro registro é de uma pintura da Alemanha em 1521, que mostra uma árvore sendo levada pelas ruas com um homem montado num cavalo atrás dela. O homem está vestido como um bispo, possivelmente representando São Nicolau (santo que é relacionado com a inspiração para o Papai Noel).

Há também um registro de uma pequena árvore em Breman, na Alemanha, em 1570. Ela era descrita como uma árvore decorada com “maçãs, nozes, tâmaras, pretzels e flores de papel”, que era exibida numa casa aliança (ponto de encontro de uma sociedade de homens de negócio na cidade).

Porém, a popularização da árvore de Natal aconteceu mais intensamente em 1846, quando os membros da realeza, a Rainha Victoria e seu príncipe alemão, Albert, foram ilustrados no jornal de Londres com os seus filhos em torno de uma árvore de Natal.

Victoria era muito popular com seus súditos, e o que foi feito na corte imediatamente tornou-se moda, não só na Grã-Bretanha, mas em todos os países de língua inglesa, se espalhando depois para outras partes do mundo.

 

 

 

 

 

 

Ilustração da família real britânica de 1848

 

 

 

 

 

 

Há outras versões, porém, a moderna árvore de Natal teria realmente surgido na Alemanha entre os séculos XVI e XVIII. Não se sabe exatamente em qual cidade ela tenha surgido. Durante o século XIX a prática foi levada para outros países europeus e para os Estados Unidos. Apenas no século XX essa tradição chegou à América Latina.

Atualmente essa tradição é comum a católicosprotestantes e ortodoxos.

………………………………………………………………………………………………………………….

FONTE(S)
Wikipédia, a enciclopédia livre.
http://www.megacurioso.com.br
History
Why Christmas

IMAGENS
Histories of Things to Come
Wikipedia
Strange Feed
Seeds of Happiness
Shutters

 

………………………………………………………………………………………………………………….

“Caixa de retalhos” também pode ser cultura!

FELIZ NATAL A TODOS!!!

O “benfeitor da grande noite”!

Numa noite fria e chuvosa, saía de sua casa sem se importar com as adversidades, queria somente levar consolo e afeto aos mais necessitados.
Caminhava a passos lentos, pois a idade já não lhe permitia o vigor de outros tempos.
No entanto, a afetividade que levava em seu coração parecia triplicar a cada ano.

Sensibilidade e bom ânimo nunca lhe faltavam e desta vez não seria diferente.

Tinha a noite toda pela frente e sabia que teria uma tarefa difícil, porém agradável, a cumprir: visitar aquelas família esquecidas pela sorte e pela vida…
Faltava-lhes de tudo, inclusive o básico.
E sempre que chegava esta época ele saía para amenizar tanta dor e tantas mazelas que insistiam em lhe chamar a atenção!

Quem é ele?!
Nunca ninguém soube e se depender dele… nunca saberá…
É conhecido por todos como o “benfeitor da grande noite”!

Com delicadeza bate a porta e espera que seja aberta.
O sorriso constante é seu cartão de visita, abraça a todos e sem dizer nada deixa em cima da mesa o que aguardavam: a pequena e simples refeição, quente e saborosa!
Dá adeus e segue seu caminho.
Mais uma porta e o gesto se repete, outro sorriso e novamente a ação de generosidade, desta vez é o remédio que traz o alívio!
E assim sua caminhada vai se tornando abençoada e iluminada!

A cada porta aberta um irmão espiritual de luz adentra com ele e realiza a vontade de Deus, leva consolo e conforto espiritual aquela gente!

 

De porta em porta, de sorriso em sorriso, a noite vai passando, o frio aumentando e suas forças diminuindo. Mas sua determinação permanece firme, falta pouco para encerrar.

 

Em sua última visita, ao abrir a porta ele se depara com o sorriso mais lindo que já havia recebido por todos esses anos, era tão luminoso que parecia ofuscar seus olhos, dois braços abertos vieram em sua direção e o envolveram num abraço apertado e fraternal, meio sem jeito diante de tamanha demonstração de amor, nosso querido amigo tira de dentro de sua sacola surrada e envelhecida o último presente, um pequeno brinquedo de madeira que ele mesmo havia feito, uma casinha com pequeninas bonecas, todas vestidas com roupinhas coloridas, confeccionadas por sua amada esposa.

A pequena criança recebeu aquele brinquedo como uma preciosa joia, mais uma vez lhe abraçou e bem baixinho disse ao seu ouvido: você é um anjo na Terra, hoje Papai do Céu lhe enviou um anjo dos céus… Suas noites serão sempre quentes e iluminadas, abençoadas pela força da caridade e do amor verdadeiro! És um escolhido de Deus para brilhar na escuridão!

Nosso companheiro, chamado “o benfeitor da grande noite”, não se conteve, apesar do esforço não conseguiu segurar as lágrimas e chorou… chorou de emoção… uma emoção sincera e profunda e cada gota derramada se transformava num diamante e foram tantos que suas mãos ficaram repletas de pedras preciosas, verdadeiras e valiosas pedras de amor e fraternidade!

Retornando ao lar, a querida esposa o aguardava ansiosa para saber as novidades, foi quando ele abriu a sacola de pano velho e as pequenas pedras brilhantes reluziram ao reflexo do fogo da lareira, seus olhos arregalaram e se encheram de lágrimas, após a explicação do marido, os dois se uniram em ardorosa prece e de joelhos agradeceram a Deus e aos anjos divino presente!

A partir daquela noite feliz, seus dias de “benfeitor” foram ainda mais prósperos, pois puderam amparar muitos outros necessitados e quanto mais ajudavam mais os anjos os recompensavam!

Até que em uma noite de frio e chuva o céu recebeu mais dois anjos…

“O benfeitor da grande noite” e sua amada companheira retornavam ao lar espiritual envoltos em muita luz!

Naquela noite houve festa no céu, muitas preces, muitos cânticos, e corações agradecidos.

Era uma singela homenagem ao “espírito do Natal”:

Humildade, Fraternidade, Generosidade, Trabalho e Amor… muito Amor!

 

Amo a vida… Amo o Natal…

Amo a Jesus, único Senhor e Salvador!

“Glória a Deus nas Alturas e Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade!!!”

Papai Noel existe!

Alguém me disse que Papai Noel não existe…

Como assim?!

Papai Noel existe sim!

 

Quem é que desce pela chaminé, come o mingau, toma o leite e preenche nossas meias?Quem é que, silenciosamente, entra pela janela, come o biscoito e deixa presentes embaixo da árvore?

 

Quem é que chega de trenó, estaciona em cima do telhado pede silêncio para as renas e coloca presentes em nossos sapatos?!
Quem é que traz presente para o bom aluno, obediente e respeitoso?!

 

 

Quem é que tem fábrica no pólo norte, emprega os duendes e viaja pelo céu?!

Se Papai Noel não existe então quem é que realiza nossos desejos, que faz barulho lá na sala e a gente, escondido embaixo do lençol, fica bem quietinha?!

Quem é que coloca nossos presentes ao lado da cama enquanto a gente dorme e faz isso sem que a gente perceba?!
Hein?! Me responda!

Papai Noel existe sim!

Existe no coração daqueles que acreditam na fantasia, deixam a imaginação fluir, acreditam na amizade, na generosidade, na fraternidade!
Aqueles que acreditam no amor, no respeito, no esforço, na recompensa!
Papai Noel existe para aqueles que acreditam num mundo melhor, feito de pessoas simples, alegres, afetuosas e acolhedoras!

 

Papai Noel existe sim!

Se Papai Noel não existisse, não existiria criança feliz e sorridente.
Não teríamos brinquedos e presentes.
Seria tudo muito triste e sem graça!
Seria um mundo de adultos secos e amargurados.
Um mundo somente de guerras e de fome…
Não…
O mundo não é só isso!
O mundo também é isso…

Papai Noel existe para aqueles que acreditam no recomeço, na magia do entendimento e acima de tudo, para aqueles que acreditam e tem fé na vida!!!

Eu acredito em Papai Noel…
E você?!

Ah! O Natal…

 

 

O Natal é sensacional…

É gente chegando de todos os lados.
De longe, de perto, de um canto qualquer.
Venha de onde vier
A gente vai se encontrar
Na sala, na cozinha, no quintal!

 

O Natal é genial…

Tem gente rezando, gente cantando
Tem quem chora e quem abraça
Tem árvore, tem música
Tem presépio e comida boa!
Tem cheiro bom, roupa nova
Tem presente e gente sorridente!

O Natal é especial…

O Natal acolhe, recolhe
É renovação!
Tem amor, esperança
Tem perdão!

 

 

 

 

 

O Natal é emocional!

Tem quem gosta, tem quem ama
Espera e fica feliz!
Quem não gosta e reclama
Infeliz, quer que passe logo…

Não importa…

O Natal é divinal!

Ah! O Natal…
Pode chegar…
A festa vai começar!

A FESTA MÁGICA DO NATAL!

Você já imaginou como seria triste o mundo sem Papai Noel, sem Jesus, sem Natal?

Seria tão triste quanto não existir o sorriso das crianças, a alegria dos amigos, o abraço fraternal.
Seria um mundo sem cores, sem brilho, sem fantasia.

Não teríamos esperança, não poderíamos sonhar, mas o homem não vive sem sonhos, sem esperanças, sem alegrias.

O NATAL é mágico porque traz até nós a certeza de que podemos amar sem restrições de crença, de cor, de nível social, no Natal as criaturas sentem misericórdia e esperança!

 

A magia desta data traz uma sensação fantástica que não se pode explicar para que não se perca o seu verdadeiro significado, um profundo sentimento de solidariedade e fraternidade…

O menino que queria voar…

Certa vez encontrei pelo caminho um garoto que queria voar…

 

Iniciava minha caminhada profissional, minha sala era pequenina e ficava num prédio antigo no centro da cidade, no segundo andar, sem elevador, dois lances de escada precisavam ser vencidos todos os dias!

 

Numa tarde quente de primavera, recebi uma visita interessante, mãe e filho adentraram a pequena sala se sentaram a minha frente e logo após a apresentação descobri que seria um grande desafio profissional para quem estava apenas começando.

Decidi trilhar este novo caminho e descobrir o que encontraria no final!

Não foi fácil, era complicado entende-lo e seguir sua forma de raciocínio era uma verdadeira viagem ao interior de um complexo cognitivo do qual eu nada entendia.

Segui minha intuição e fui adiante.

Depois de alguns encontros iniciamos uma conversação, não sei explicar, mas passamos a nos entender, era uma conversa truncada, com muitas formas imaginárias e sem conteúdos lógicos.
Sem ofender… “uma loucura”.
Mas, ou entrava na “loucura” do meu garoto, ou nada aconteceria.

Respirava fundo e me lançava cada vez mais nessa viagem.

Em determinado momento, ele me olhou profundamente, se levantou, chegou muito perto das janelas, eram duas, bem amplas, e disse:
“Meu sonho é voar…”


Sei que não é lá muito ético, mas desejei que não fosse naquele momento a primeira tentativa!
Afinal estávamos no segundo andar!

 

 

Tirando o “perigo” da frase, aproveitei para aprofundar aquele desejo, não posso responder qual a fórmula mágica utilizada para conversarmos, mas lembro que fiz algumas perguntas e ele respondeu com tanta clareza que foi surpreendente!
Percebi que aquele garoto tinha um desejo contido de liberdade…
Devido as suas limitações cognitivas, conseqüentemente físicas, seus pais lhe cobriam de mimos e cuidados não permitindo que sua vida fosse mais livre.
Onde quer que fosse alguém o acompanhava.
Me pareceu naquele momento que a frase “meu sonho é voar” estava diretamente ligada ao desejo de conseguir se libertar de tantos cuidados.
Decidi investigar melhor e conversar com seus pais.
Nem preciso dizer que foi uma conversa difícil, pois não tinham a menor intenção de me ouvir quanto mais de mudar a situação.

Concluindo:

Confesso que ficava tensa toda vez que ele se aproximava das janelas e olhava fixamente para fora mirando o céu e depois o chão e repetia este comportamento dizendo: “quero voar”  ou  “vou voar”…

O tempo foi passando, ele foi se acalmando, se tornou um garoto risonho e vagarosamente foi se soltando, como uma pequena criança, aprendendo dia a dia, vencendo um desafio a cada etapa, lentamente foi aprendendo a “voar”!

Lembro que um dia ele apareceu sozinho, lhe perguntei sobre sua mãe e ele displicentemente respondeu: “ficou em casa…”
Sinalizando que estava bem a vontade naquela nova situação, sorri e dei inicio ao nosso encontro.

Quando terminou, levantou-se, se despediu e com segurança me disse:
“Não venho mais…”


Fiquei olhando aquele garoto magrinho e sorridente se retirar, pela ampla janela eu o vi partir para não mais retornar.

Nunca mais voltou…

 

 

 

Ele não necessitava mais dos meus préstimos.
Eu sabia por quê…
Ele “aprendera a voar”!

Assim aconteceu…
Não mais encontrei aquele garoto tão interessante e que me ensinou tanto!
Fizemos um vínculo produtivo.
Profissionalmente amadureci imensamente…
Aprendi muito sobre o “ser” humano!

Ficou a lição: todos nós podemos “voar”, basta escolher como será esse “voo”!

 

Mais um “retalhinho” foi encontrado na minha “caixa”…

Amo a vida…

Amo minha “caixa mágica!”