Realizar, também é tarefa a se conquistar…

Alguém um dia me disse que é preciso encontrar a nossa estrada, determinar a maneira de caminhar e o objetivo a alcançar!

Refleti no que me disse e sai a caminhar, não sabia muito bem o que estava a procurar. Resolvi seguir a frente não importando o que pudesse encontrar, mas a maneira como isso iria me afetar.
Saí com muita força, alegria e esperança, pois sabia que o caminho me levaria a um sonho de criança.

Chamaram-me de louca, desvairada e sem noção, não importa, sou maluca mesmo, mas sei onde meus pés querem tocar!

Caminhei por muito tempo e descobri coisas impressionantes, desde o quanto podemos realizar até aonde podemos chegar!

 

Fiquei triste e também feliz, me senti amada e também magoada, sorri e chorei, abracei e fui empurrada, fui beijada e abandonada, senti raiva e tamanha gratidão, passei por dias especiais e outros tão banais…

Percebi estrelas e muitos trovões, descobri o sol e também a lua, foram dias chuvosos e outros ensolarados…

Muita gente boa cruzou meu caminho e de mãos dadas caminhamos até a separação.

Foram momentos fáceis e outros tantos difíceis, muitas conquistas e várias decepções!

 

Ser alguém que pode realizar também é tarefa a se conquistar…

Ah a vida!

Quantas surpresas e que aprendizado!

 

 

 

Quando criança sonhava que tudo podia realizar, que quando “grande” sairia a velejar…

 

Em busca desse sonho somos todos viajantes, sabemos de qual caís partimos, mas não temos ideia em qual deles iremos aportar!
Nesse mar imenso e revolto a viagem se faz acontecer, em dias de tormenta desejamos retornar, mas quando o sol e mar azul brilham, lá vamos nós a continuar!

 

 

E assim segui adiante na estrada que escolhi.
A  cada passo percebia o que dentro de mim escondia.
Hoje sou grata a tudo que aprendi.
Não há nada a descobrir apenas o que sentir!

 

Depois da longa jornada já não sei qual o objetivo a alcançar se é algo a encontrar ou simplesmente viver para aprender a amar! 

Dizem que o sofrimento nos faz forte, acho que faz mesmo!

Mas apesar do sofrimento é possível escolher e recuperar a “alegria de viver”!

Se superar, se conhecer profundamente, descobrir quanta força habita em nós, quanto de coragem foi preciso empreender e acima de tudo, quanto de nossa fé foi necessário para perceber que podemos!

Saber que depois da noite, por mais traiçoeira que tenha sido, o dia ressurge, iluminado!

 

Sentir o pulsar da vida: o vento, o calor, o frio, o perfume das flores, as cores e os sabores…
Abraçar e beijar quem se ama.
Rir… rir muito!

Não importa o que passamos, pelo que sofremos, quantas dores suportamos.
O que vai nos levar adiante é o quanto pudemos aprender.
Viver um dia de cada vez, perceber novas oportunidades, descobrir verdadeiros amigos e aceitar os desafios como instrumentos valiosos para fortalecer a nossa capacidade de reação.

Dificuldade, todos nós passamos, o que nos difere uns dos outros é a maneira “como” passamos por elas, “como” as enfrentamos!
Podemos escolher por um caminho ou outro.

 

Eu escolhi amar profundamente a vida, pois Deus revela o seu amor por nós todas as manhãs, quando nos oferece um novo dia! Presente que não se pode desprezar.
Ser feliz é a ordem.

 

 

 

 

E por tudo isso, me sinto profundamente agradecida…
Agradecida por mais uma oportunidade de recuperar a alegria de viver!

Reflita e faça sua escolha!
…………………………………………………………………………………………………………………

Sentimos e não podemos apagar!

 

A partir de uma mesma lembrança podemos recontar a nossa história atribuindo novos e comoventes significados, são sentimentos que foram esquecidos, assim como pequenos “retalhos” deixados numa velha caixa escondida no fundo de um baú.

 

Olhando para nossa “caixa”, revendo nosso passado, viajamos no tempo, quantos “retalhos” foram esquecidos e quão valiosos foram em cada etapa vivida.

Através dessa viagem podemos ver que a estrada percorrida tinha muitas curvas, altos e baixos, vários buracos e inúmeras pedras, que fizeram de nossas vivências jornada de conquistas e realizações!

 

 

Vivemos e não podemos negar, sentimos e não podemos apagar.
Quantos sentimentos podemos reencontrar e assim “recontar a nossa história”.

O projeto “caixa de retalhos” surgiu num momento de descontração e de alegria  em contato com lembranças afetuosas do passado.

Pois a mágica da vida todos os dias nos acorda, renova a alegria e nos auxilia a redescobrirmos a felicidade!

Portanto…

Agradeça o poder de Deus sobre sua vida, acredite em você, seja otimista.

Tenha fé, porque a fé atrai realizações.

 

E seja feliz… sempre e para sempre!!!

 

A PAZ…

A paz é uma conquista tão íntima que nunca saberemos o seu verdadeiro valor ou significado.

Conheço pessoas que passaram a sua vida toda na busca desse sentimento e nunca souberam o que é estar em paz.

Muitas outras passaram pela minha vida e cruzaram o meu caminho tão singela e sutilmente que descobri por elas o que é estar em paz.

A paz…

Tão apregoada, tão desejada e tão pouco conhecida ou vivenciada…

Sabemos que estar em paz é estar bem consigo mesmo numa construção de ações de amor e generosidade. Será?!

Pessoas entram e saem de nossas vidas com a velocidade dos sentimentos e emoções que lhes dedicamos, isso seria estar em paz?

Saber que fizemos o que nos cabia e assim estamos em paz. Será?!

Conquistamos paz?!

Então por que ainda sentimos esse tal vazio íntimo que sempre nos assola com suas dúvidas e questionamentos?

Estar em paz é saber que nada mais poderia ser feito ou que vivemos de forma a não nos arrependermos? Sei lá… Acho isso muito complicado.

Alguém sempre me diz que encontrar paz é viver em consonância com as regras espirituais do bem. OK! Mas e aqueles que não conhecem, por inúmeros motivos, essas regras e estudos sobre o bem e o mal? Nunca encontrarão paz?! Acho muito reduzido, para um conceito tão amplo e tão pessoal!

A paz…

Dizem que é a falta de guerras. Será? Conheço pessoas que viveram guerras reais e estiveram totalmente em paz. Não seria um conceito muito simplista para atitudes tão nobres e tão profundas?!

 

Nossa análise nos leva a descobrir que estados de tranqüilidade, de dever cumprido, de espiritualidade, de sentimentos nobres, de generosidade, afeto, compreensão, expansão de atitudes, de sobrevivência, de amor incondicional (se é que existe…) podem ser confundidos com PAZ, ou é a própria PAZ?!

Sei lá… continuo achando muito complicado.

Dizemos: siga em paz, viaje em paz, tenha paz, desejamos muita paz… Descanse em paz! Será que nestas situações é que encontramos paz?! Sei lá…

O que eu desejo com isso? Tirar sua paz?!  Talvez!

Dedicar um tempo extra para nos conhecermos e percebemos do que somos capazes e daquilo que ainda não conseguimos atingir, pode ser o primeiro passo para encontrarmos o significado pessoal para a nossa paz!

 

 

Na verdade não tenho nenhuma intenção com essa conversa, a não ser fazer-nos perceber o quanto, muitas vezes, nos enganamos com conceitos pobres e vazios a respeito de emoções tão fortes e importantes.

Deixemos o melhor acontecer, afinal uma força maior e absoluta está no comando!

Talvez agindo assim, acreditando no fluir amoroso da vida, possamos chegar lá…

Encontrar, sentir, transmitir e viver em PAZ!

Vou parando por aqui, afinal temos que dar um tempo para que a nossa paz se faça presente.

MUITA PAZ A TODOS!!!

…………………………………………………………………………………………………….